quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Sociedade Viva Cazuza precisa de ajuda

A criança que chegou em 2008 em sua primeira Festa de Natal na Sociedade Viva Cazuza

Fiquei muito triste ao ficar sabendo que quase 20 anos depois da perda de Cazuza, a entidade que leva o seu nome está à beira da morte. A mãe do cantor e presidente da Sociedade Viva Cazuza, Lucinha Araújo, tentará como última cartada audiência com o presidente Lula. Emendas parlamentares garantiram até 2002 o funcionamento da ONG. Com o governo Lula, mudaram as regras, e os recursos passaram a demorar. Como a entidade oferece assistência médica, mas não é hospital, a burocracia virou entrave (como sempre, a burocracia!).

A Viva Cazuza, em Laranjeiras, tem como receita direitos autorais de suas músicas. Mas a fonte cobre menos de 10% das despesas, entre R$ 60 mil e R$ 70 mil mensais. Campanhas, shows e donativos tentam equilibrar as finanças. No entanto, têm sido insuficientes. O custo de manutenção de uma casa onde moram 22 crianças portadoras do HIV é muito elevado. São obrigados a manter quatro equipes de funcionários, uma vez que não fecham. Mas o resultado do trabalho é gratificante, hoje eles têm adolescentes já com 17 anos fazendo curso profissionalizante, é uma nova geração que está chegando disposta a lutar pelos seus direitos. A Sociedade oferece ainda projeto de acompanhamento de doentes associado à distribuição de cestas básicas.

“O problema é que a Aids saiu de moda, as pessoas acham que a Aids é uma doença que basta tomar um remedinho e tudo bem, mas infelizmente não é bem assim. Apesar da grande conquista da medicina que proporciona qualidade e quantidade de vida aos pacientes, a convivência com a Aids é um problema sério e se não voltarmos a falar nela todos os dias, com a preocupação com que a imprensa, os meios de comunicação e a sociedade civil dispensavam a ela nos anos 90 vamos ter um recrudescimento da epidemia. Essa falta de espaço e visibilidade faz com que as doações estejam cada dia mais escassas e é claro os direitos autorais de Cazuza também vêm diminuindo, afinal ele não está mais entre nós há 19 anos.” Palavras da própria Lucinha.

Se você quiser ajudar a Sociedade, eles recebem doações de remédios, alimentos, produtos de limpeza e higiene, roupas infantis, brinquedos etc., de segunda a sexta feira das 7 às 19 horas nesse endereço: Rua Pinheiro Machado, 39 - Laranjeiras
22231-090 Rio de Janeiro RJ
tel (55 21) 2551 5368 / fax (55 21) 2553 0444

Doações em espécie podem ser feitas também através de depósito para:
Sociedade Viva Cazuza
agência 0887-7
c/c 26901-8
(Quem já é cliente do Bradesco pode fazer uma transferência na página do banco na internet).

Se você mora no Rio também é possível ajudar indo aos eventos. Para saber a programação dos próximos shows entrem no site http://www.vivacazuza.org.br/sec_noticias.php?page=1&id=34

Os ingressos custam apenas R$ 5,00 e os próximos serão:

04/8 – Perla

11/8 – Cidade Negra

18/8 – Orquestra Tabajara

Vale lembrar que comprando CDs e DVDs do Cazuza (originais, é claro) você também estará ajudando a Sociedade Viva Cazuza.

"Quem tem um sonho não dança" Cazuza

2 comentários:

  1. Belíssimo post Ellen.
    Só um comentário:
    Além de toda burocracia existe também a má administração que pode ser um grande fator para a entidade ter chego a este ponto..infelizmente.

    Ah, obrigado pelos parabéns. Não sei até quando vai esta fama mas por enquanto to adorando.

    ResponderExcluir
  2. Mandei um e-mail para voce.

    ResponderExcluir

O que está passando na sua cabeça nesse exato momento? Registre aí! ;)