segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Menor Infrator


Imagine um pequeno município do interior de Minas Gerais com uns 20 mil habitantes. Agora imagine um distrito desse município que tem em média umas 10 mil pessoas. É aqui que eu moro. E foi aqui que a duas semanas arrombaram a porta da minha casa quando todos tínhamos saído e roubaram o notebook, dentre outras coisas. Assim que a polícia chegou já tinham um suspeito. Essa pessoa já havia roubado em várias outras casas. Mas então por que continuava solto? Porque ele é menor de idade.
A polícia foi atrás dele, mas logicamente ele negou tudo. Depois de quase uma semana vieram uns policiais de outra cidade e deram um "aperto" no garoto de 17 anos que acabou confessando o crime e contando onde os objetos roubados estavam escondidos. Por sorte ainda não tinham sido vendidos.
Sabe o que aconteceu com ele? Nada. Pelo menos por enquanto. Parece que ele vai ser encaminhado para o juizado de menores. Enquanto isso, continua solto pelas ruas e se quiser pode continuar roubando de pessoas honestas e trabalhadoras.
Sei que pelo que ele fez é bastante improvável que fique internado. Isso acontece geralmente com adolescentes que cometem crimes mais graves como homicídio. Ele pode ter a liberdade assistida (ficar em casa mas permanecer vigiado) ou prestar serviço a comunidade. Mas também pode levar apenas uma advertência do juiz. O problema é que provavelmente nada disso vai adiantar pois geralmente eles roubam para comprar drogas, e acredito que seja este o caso. Sendo assim, o melhor caminho seria mesmo a internação que nem de longe lembra os calabouços sujos e sombrios dos presídios. São unidades especiais, dotadas de todos os serviços psicossociais, as mais variadas e modernas formas de terapias, sejam elas com fins exclusivamente terapêutico ou de ocupação, recreação, educação religiosa. O objetivo não se afasta da ressocializacão, repelindo totalmente a punição, que não recupera.
Acredito que esses internatos deveriam também tratar do problema da dependência química e oferecer, além de recreação, profissionalização. Isso talvez resultasse na recuperação de um número maior de jovens.
É claro que não mudei de idéia sobre as causas da violência. Como postei certa vez falando da Campanha da Fraternidade, não se deve combater a violência apenas punindo pois não adianta. A injustiça social gera a violência. Mas é errado pensar que o ladrão está roubando apenas para matar sua fome. Existem outras questões que somadas à injustiça social agravam ainda mais o problema da violência.
Muitos jovens que são trabalhadores e estudam começam a se envolver com drogas. Aí o salário do emprego honesto já não é suficiente para alimentar o vício e ele começa a roubar para pagar as dívidas. Isso é tão sério que há tempos não é mais exclusividade das grandes cidades, já chegou nas pequenas também.
Outra questão é a ganância. Muitos querem ter acesso ao luxo sem se esforçar para conseguir. Querem andar com roupa de marca, ostentar celular da moda mas da maneira fácil: roubando. O pior é que geralmente não roubam de quem tem dinheiro sobrando e sim da classe média que quase morre de trabalhar para pagar suas prestações e impostos.
É claro que esse tema é demasiadamente profundo, mas tentei atravez desse texto fazer com que o leitor fique consciente da gravidade do problema.

9 comentários:

  1. Bom te ver Ellen. Poxa, que sacanagem roubarem teu note mas foi recuperado né?

    Na minha opinião esses tipo de coisa diminuiria se no Brasil fosse igual aos EUA com a maioridade penal sendo aos 12 anos ou se não for possível com 12, que seja com 15 anos pelo menos.(Mas sempre vem os filhos da puta do pessoal do Direitos Humanos alegando isso, alegando aquilo, porque nunca sofreram com uma experiência dessa ou pior diante de um menor).
    90% desses menores infratores sabem muito bem o que estão fazendo e se aproveitam da lei brasileira.

    Beijoo Ellen, bom restinho de semana pra ti.
    =]

    ResponderExcluir
  2. Ah, obrigado pelo seu voto mas pra ganhar eu precisaria de + de 30 mil votos...(algo meio impossível no momento).
    Quem sabe um dia né..^^

    ResponderExcluir
  3. A questão é que mandar para a cadeia não soluciona o problema da criminalidade. É verdade sim que a maioria desses menores aproveitam da lei mas sabemos também que a punição só vai impedir que eles circulem livres por um certo tempo, mas quando saírem vão fazer tudo de novo ou até pior (porque ficam presos sem fazer nada de útil, só aprendendo mais coisa errada). É possível se pensar em uma redução da maioridade penal sim, mas não dá pra achar que isso é a solução. A injustiça social e as drogas estão carregando milhares de jovens para a criminalidade todos os dias. Quando sofremos com coisas como essas ficamos revoltados, com muita raiva mesmo, mas não somos as únicas vítimas dessa situação.

    ResponderExcluir
  4. Ellen,
    A maioridade penal é uma questão delicada... muito delicada.
    Envolve outras demandas que infelizmente não são enfrentadas pela nossa sociedade.
    È necessário resgatar a infância que se perde diante da omissão geral. Mas, vou passar a bola pra ti, ok?!
    Um forte abraço,
    Pedro

    ResponderExcluir
  5. É difícil de acreditar que um adolescente rouba e não recebe um castigo descente pelo crime!
    Nunca me roubaram nada, mas sempre fui a favor de punição que mostrasse para esses garotos, que eles não estão impunes da lei!
    Como pode, num país, aonde existe as melhores leis, estas não funcionarem devidamente? Deveriámos ter os melhores presídios, os melhores centros de reabilitação para menores infratores e não essa pudriqueira que eles chamam de cadeia e FEBEM!

    MAs eu ainda acredito, e um dia, nós chegaremos lá!

    ResponderExcluir
  6. Minha cara amiga, sinto em lhe dizer que esse mundo perfeito em que a senhora acha que vive é totalmente inóquo com a realidade, visto que esses internatos tão lindos e perfeitos como a senhora descreveu nem em filmes mais aparecem.
    O real problema brasileiro é a manipulação da informação onde o Estado, nos impõe de maneira subliminar que o melhor seria a menoridade penal ser diminuida. Para o Estado e para toda a sociedade essa é a maneira mais facil de se resolver o problema, pois para isso basta prender.
    O Estado tem o dever de proporcionar a criança e ao adolescente educação, lazer, e proteção integral. Esses jovens que cometem tais atrocidades lhe garanto não conhecem nenhuma dessas medidas estatais...
    Por isso lhe garanto que a única forma para solucionar esse problema, é a fiscalização e principalmente a cobrança de nós civis ao Estado, para que use de seu poder e principalmente de seu dever, para prover educação, politicas publiucas de saude, lazer e proteção integral..

    ResponderExcluir
  7. Você parece que não leu o texto todo... Só leu o que estava em itálico. Eu não acho que vivo em mundo perfeito não! Se vivesse não teria sido roubada. Se tivesse lido o resto teria percebido que eu digo sim que uma das causas pela violência é a pobreza e logicamente falta de assistência do estado. Mas não é só isso. Tem as drogas e tem a ganância também. Se não todo pobre seria ladrão, o que de fato não acontece, e todos os ricos seriam honestos, o que também não acontece. Mas independente das causas, alguma providência tem que ser tomada. Aqui na minha cidade um monte de gente foi roubada por esse mesmo rapaz, e nem todos conseguiram recuperar seus bens. Nós mesmos não recuperamos tudo que ele levou. Acaba virando piada: todo mundo sabe quem roubou mas ele continua solto só porque tem um ano a menos. E ele rouba para comprar drogas, o que é pior. Se ele tivesse me encontrado sozinha em casa? Nem sei o que poderia ter acontecido... O que quero dizer que independente de ser maior ou meor de idade, os infratores tem seu lado vítima mas não dá pra generalizar, achar que são todos coitadinhos. Tem injustiça social? Tem. Falta assistência do estado? Falta. Mas eles também são injustos, tirando os bens e talves até a vida de pessoas trabalhadoras para sustentar seus luxos e vícios.

    ResponderExcluir
  8. tenho uma filia de14 anos ,e desde que ela tinha 10 ano eu venho sofrendo,pois ela começou furtando ,depois começou a bebe já nao tenho mais argumento ,estou perdida e nao sei como ajudar ela .ela nao furta mais ,mas agora vive fugindo de casa e dorme na rua o que eu faço.

    ResponderExcluir
  9. tenho uma filia de14 anos ,e desde que ela tinha 10 ano eu venho sofrendo,pois ela começou furtando ,depois começou a bebe já nao tenho mais argumento ,estou perdida e nao sei como ajudar ela .ela nao furta mais ,mas agora vive fugindo de casa e dorme na rua o que eu faço.

    ResponderExcluir

O que está passando na sua cabeça nesse exato momento? Registre aí! ;)